Estudo da FGV feito a pedido da CNI (Confederação Nacional da Indústria) mostra que o recuo da presença brasileira no mercado argentino atingiu diversos setores. Dos 26 principais produtos brasileiros exportados para a Argentina em 2005, o Brasil possuía liderança em 25. Uma década depois, considerando a mesma lista de produtos, o país mantinha a dianteira em apenas 18. Em todos eles, contudo, a distância para o segundo colocado diminuiu. A recuperação vista recentemente, com o mercado argentino retomando neste ano o posto de principal comprador de manufaturados do país, não foi suficiente para afastar a preocupação do empresariado. Isso porque o saldo ainda é desfavorável ao país: ao final de 2016, os produtos brasileiros representavam 24,5% das importações argentinas, bem abaixo dos 34,8% que o país possuía 10 anos antes.